Caiado lança Operação Nordeste Solidário para prevenir danos causados pelas chuvas

Plano de contingência foi elaborado devido previsões que indicam precipitações acima da média, entre o final deste ano e início de 2023. Estratégia principal para mitigar problemas e elevar segurança se baseia em preparação, resposta e reconstrução, com foco em acolhimento e assistência às pessoas


Fotos: Lucas Diener.

O governador Ronaldo Caiado apresentou, nesta segunda-feira (31/10), a Operação Nordeste Solidário. Trata-se de um plano de contingência que envolve áreas como infraestrutura, social e saúde para evitar desastres naturais, reduzir possíveis danos e garantir a segurança de toda a população dos municípios que correm riscos em meio ao período chuvoso que se aproxima. O evento de lançamento foi realizado no Auditório Mauro Borges, no Palácio Pedro Ludovico Teixeira, em Goiânia.

"Governar o Estado é exatamente antecipar os problemas", resumiu Caiado. O plano de ação é baseado em levantamentos da Defesa Civil e do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo). Existe previsão de que chova, em um único mês, até 500 milímetros em algumas regiões, cenário semelhante ao ocorrido entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022, quando 24 cidades decretaram situação de emergência. "Nunca houve essa previsão climática. E, se teve, nunca tomaram providência preventiva. E essa é a nossa finalidade agora", pontuou.  

"Temos a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros, que identificam o volume de chuvas e os municípios com maior risco. A partir daí, montamos nossa estrutura de base", detalhou Caiado ao dizer que a operação não se restringe ao Nordeste – leva este nome porque a região concentra a maior área de risco, mas inclui cidades do Norte e do Vale do Araguaia. "Trabalhamos para antecipar, dar o melhor atendimento à população e não sofrermos as dificuldades da última passagem de ano", observou.

No início de 2022, o governador foi a Teresina de Goiás, Faina, Itapirapuã, Monte Alegre de Goiás, Alto Paraíso de Goiás, Formoso, Santa Tereza de Goiás, Guarani de Goiás, Nova Roma, Divinópolis de Goiás e Campo Belos para acompanhar a força-tarefa montada pelo Governo de Goiás e coordenar a distribuição de alimentos, medicamentos e água mineral às famílias afetadas. As atividades subsidiaram a criação do plano de contingenciamento.

A quantidade de chuvas prevista para este ano pode causar o isolamento de municípios, com desabastecimento de alimentos e insumos; contaminação de água potável; perdas na lavoura e pecuária, e galgamento de barragens. Com base na experiência adquirida, a Operação Nordeste Solidário já está em ação, inclusive com envio de donativos diversos para os municípios. O estoque será feito em parceria com as prefeituras. Também haverá o deslocamento de equipes especializadas em busca e salvamento.

Pelas projeções do plano de contingenciamento, cerca de 19 mil pessoas podem ser afetadas direta ou indiretamente com os efeitos das fortes chuvas. A medida é baseada no tripé preparação, resposta e reconstrução, com foco em áreas mais vulneráveis, fornecendo, primariamente, acolhimento e assistência às pessoas. "Se concretizada essa enorme quantidade de chuva prevista, faremos de tudo para cuidar de vidas, em primeiro lugar. Em seguida, reparar os danos materiais e, logo depois, ajudar cada família a se reerguer e ter de volta sua autonomia e qualidade de vida", assegurou a coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais (GPS) e presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), primeira-dama Gracinha Caiado.

Cidades em risco
A Operação Nordeste Solidário classifica 14 municípios com alto grau de risco. São eles: Água Fria de Goiás, Alto Paraíso, Cavalcante, Formosa, Hidrolina, Itapaci, Mimoso de Goiás, Niquelândia, Nova Roma, Pilar de Goiás, São João D'Aliança, São Luiz do Norte, Teresina de Goiás e Uruaçu.

A iniciativa conta com 17 pastas do Governo de Goiás atuando de forma integrada. Entre elas estão as forças de segurança pública e de salvamento comandadas pela Defesa Civil Estadual; o Gabinete de Políticas Sociais (GPS), a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG); a Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra); a Saneago; a Agência Goiana de Habitação (Agehab); a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater), além das secretarias de Estado de Desenvolvimento Social (Seds); Saúde (SES); Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa); Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad); Educação (Seduc), e Esporte e Lazer (Seel).

Acompanharam o lançamento da Operação Nordeste Solidário ao lado do governador os(as) prefeitos(as) Marcos Rinco (Alto Paraíso), Vilmar Souza Costa (Cavalcante), Paulinho do Elízio (Colinas do Sul), Rosângela Alves dos Reis (Mimoso), Eleuses Rodrigues (Nova Roma), Tiago Japiassu (Pilar de Goiás), Débora Domingues (São João D'Aliança), Elieudes Morais (São Luiz do Norte) e Valmir Pedro (Uruaçu); além de deputados em exercício e eleitos; secretários de Estado e presidentes de autarquias.

Edilayne Martins

"Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida." (Bob Marley)

Postagem Anterior Próxima Postagem

Últimas

BRB